Página InicialTextos EspíritasA candeia do teu corpo

817 visualizações

A candeia do teu corpo

março 2, 2015

andre-sobreiroNosso senhor Jesus Cristo, em duas passagens do Evangelho, nos relata a necessidade de melhorarmos a forma pela qual encaramos o mundo.
No Evangelho de Mateus (capítulo VI, versículo vinte e dois) e no Evangelho de Lucas (capítulo XI, versículo trinta e quatro), Ele nos diz:
“A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo teu corpo será luminoso; porém, se os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso”.

Analisemos calmamente o convite feito por Nosso Senhor:

“A candeia do corpo são os teus olhos…”:
Segundo o dicionário Houaiss On Line, candeia significa “pequeno aparelho de iluminação, de folha-de-flandres ou de barro, abastecido com óleo ou gás inflamável e provido de mecha; usa-se geralmente no alto, pendente de um prego preso à parede”. Fonte de luz, portanto.

Paralelamente, sabemos ser a visão a principal e primeira forma de captação dos estímulos externos. Os estudiosos já sabem que a visão é a principal fonte de aprendizado. Quando bem apresentada visualmente, a ideia transmitida é mais bem assimilada; daí a importância da simbologia.

Portanto, podemos interpretar essa figura usada pelo Cristo, como sendo o olho a fonte primária de estímulos para o espírito encarnado.

“… de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo teu corpo será luminoso…”:
Segundo os ensinamentos trazidos pela Doutrina Consoladora, codificada por Allan Kardec, o olho bom representa o otimismo e a bondade com os quais devemos encarar a vida. A justificativa para o otimismo, nos dias conturbados que vivemos, é relativamente simples: se Deus é nosso Pai, e Jesus nosso irmão, nada há a temer, sendo, portanto, nosso sofrimento consequências inevitáveis de nossas ações passadas. Daí a resignação e a confiança que o conhecimento dos postulados espíritas nos traz.

Essa confiança se reflete na luminosidade perispiritual (uma das 17 propriedades do perispírito, discutidas por Zalmino Zimmerman, em “Perispírito”). Nos auto-iluminamos quando estamos em paz e confiamos na bondade de Deus.

Lembremo-nos que a luminosidade do perispírito é conhecida por nós como aura, e André Luiz em sua série (psicografia de Francisco Cândido Xavier) refere-se a ela como halo mental. Lembremo-nos também que o perispírito é citado por Paulo de Tarso (I Coríntios, XV: 44) de corpo espiritual, os físicos e biólogos soviéticos em suas pesquisas o denominaram de corpo bioplásmico, e Hernani Guimarães Andrade fala em modelador bioplásmico.

“… porém, se os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso”:
Esse trecho evidencia a recíproca, ou seja, ver o mundo com olhos de desânimo, sem a misericórdia necessária, diminuiria nossa luminosidade. Pouco temos a oferecer, nessa situação.
Como gostamos de ser recebidos? Com alegria? Simpatia? Paciência? Façamos o mesmo, então.

André Luiz Iesi Sobreiro

André Luiz Iesi Sobreiro
André Luiz Iesi Sobreiro

Expositor, dirigente de estudos, trabalhador do CE Portal de Luz e da Rede Amigo Espírita.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como