Página InicialTextos EspíritasEducação, caminho da liberdade!

140 visualizações

Educação, caminho da liberdade!

abril 22, 2015

francisco_rebouçasA doutrina espírita nos esclarece através das inúmeras lições constantes da Codificação do Espiritismo, que a educação é a solução para quase que a totalidade dos nossos problemas atuais. Por isso mesmo, o “Espírito de Verdade”, em mensagem constante do E.S.E. Cap. VI, item 5,  nos ensina: (…) Espíritas! amai-vos, este o primeiro ensinamento; instruí-vos, este o segundo.¹

“O Espiritismo vem, na época predita, cumprir a promessa do Cristo: preside ao seu advento o Espírito de Verdade. Ele chama os homens à observância da lei; ensina todas as coisas fazendo compreender o que Jesus só disse por parábolas. Advertiu o Cristo: “Ouçam os que têm ouvidos para ouvir.” O Espiritismo vem abrir os olhos e os ouvidos, porquanto fala sem figuras, nem alegorias; levanta o véu intencionalmente lançado sobre certos mistérios. Vem, finalmente, trazer a consolação suprema aos deserdados da Terra e a todos os que sofrem, atribuindo causa justa e fim útil a todas as dores.

Disse o Cristo: “Bem-aventurados os aflitos, pois que serão consolados.” Mas, como há de alguém sentir-se ditoso por sofrer, se não sabe por que sofre? O Espiritismo mostra a causa dos sofrimentos nas existências anteriores e na destinação da Terra, onde o homem expia o seu passado. Mostra o objetivo dos sofrimentos, apontando-os como crises salutares que produzem a cura e como meio de depuração que garante a felicidade nas existências futuras. O homem compreende que mereceu sofrer e acha justo o sofrimento. Sabe que este lhe auxilia o adiantamento e o aceita sem murmurar, como o obreiro aceita o trabalho que lhe assegurará o salário. O Espiritismo lhe dá fé inabalável no futuro e a dúvida pungente não mais se lhe apossa da alma. Dando-lhe a ver do alto as coisas, a importância das vicissitudes terrenas some-se no vasto e esplêndido horizonte que ele o faz descortinar, e a perspectiva da felicidade que o espera lhe dá a paciência, a resignação e a coragem de ir até ao termo do caminho.

Assim, o Espiritismo realiza o que Jesus disse do Consolador prometido: conhecimento das coisas, fazendo que o homem saiba donde vem, para onde vai e por que está na Terra; atrai para os verdadeiros princípios da lei de Deus e consola pela fé e pela esperança”.² 

É, através do conhecimento, que o homem adquire pelo estudo a que se dedica, capacitando-se a compreender melhor o correto significado do proceder no bem para consigo mesmo e para com seu próximo, agindo sempre com equilíbrio e confiança, pois, o desenvolvimento do seu livre-arbítrio, acompanha o da sua inteligência.

Allan Kardec, no Livro dos Espíritos, formulou alguns questionamentos sobre esse tema, aos Imortais da Vida Maior, para nossa melhor compreensão.

  1. A força para progredir, haure-a o homem em si mesmo, ou o progresso é apenas fruto de um ensinamento?

“O homem se desenvolve por si mesmo, naturalmente. Mas, nem todos progridem simultaneamente e do mesmo modo. Dá-se então que os mais adiantados auxiliam o progresso dos outros, por meio do contato social.”

  1. O progresso moral acompanha sempre o progresso intelectual?

“Decorre deste, mas nem sempre o segue imediatamente.”

  1. a) – Como pode o progresso intelectual engendrar o progresso moral?

“Fazendo compreensíveis o bem e o mal. O homem, desde então, pode escolher.

O desenvolvimento do livre-arbítrio acompanha o da inteligência e aumenta a responsabilidade dos atos.” 3

Pelas respostas obtidas por Allan Kardec, podemos facilmente deduzir que a educação, é de vital importância para nós seres humanos no atual estágio de progresso em que nos situamos para a necessária expansão dos nossos conhecimentos intelectuais, que nos ajudarão a entender tantas coisas que, por ora, nos fogem à correta compreensão.

Nosso investimento na educação evitará que continuemos nos enganando em pensar que somos invencíveis, superiores, diferentes, ou melhores que nossos irmãos em humanidade, permitindo que nos reconheçamos criaturas frágeis e imperfeitas, especialmente em relação ao corpo físico.

Quando abusamos das limitações a que estamos submetidos pelas Leis de nossa organização física, despertamos após os prazeres mentirosos da ilusão, em grandes sofrimentos causados pela inobservação desses limites.

O sofrimento que nos aflige hoje é fruto de uma educação incorreta de outrora, de uma convivência social pouco saudável e das escolhas equivocadas que infelizmente fizemos. Chega de buscar as satisfações imediatas dos prazeres arriscados, do vulgar, do promíscuo, do poder transitório, da riqueza, da força, com os quais pautamos nossas vidas até aqui, pois, mais cedo ou mais tarde, devido à sua alta carga de contaminação tóxica, produzirão sofrimentos físicos e mentais de longa duração.

Só a educação, alicerçada nos dignos valores ético-morais, a estimular a consciência do dever retamente cumprido, da responsabilidade do indivíduo para consigo, com seu próximo e para com a vida, proporcionar-lhe-á a saúde emocional e o indispensável despertamento para as virtudes do Espírito, facilitando-lhe um trânsito decente e exitoso pela bênção da existência física.

Francisco Rebouças



Referências:
1- O Evangelho Segundo o Espiritismo – FEB, Cap. VI – item 5 – 106ª Edição.
2- O Evangelho Segundo o Espiritismo – FEB, Cap. VI – item 4 – 106ª Edição.
3- O Livro dos Espíritos – FEB, Parte 3ª, Cap. VIII -76ª Edição.

Nota do editor:
Imagem em destaque disponível em <http://pt.forwallpaper.com/wallpaper/nature-flowers-field-background-wallpaper-web-flying-book-691238.html>. Acesso em: 22ABR2015.

Francisco Rebouças
Francisco Rebouças

Pós-Graduado em Administração de Recursos Humanos, Professor, Escritor, Articulista de diversos veículos de divulgação espírita no Brasil, Expositor Espírita, criador do programa: "O Espiritismo Ensina".

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como