Página InicialTextos EspíritasFraterna indicação!

222 visualizações

Fraterna indicação!

outubro 14, 2015

“Cada um administre aos outros o dom como o recebeu,
como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.”
Pedro (I Pedro, 4: 10). (1)

francisco_rebouçasO caminho a ser seguido pelo verdadeiro servidor do Mestre de Nazaré tem por rota principal o aprimoramento que exige do interessado a ação de trabalhar com confiança e determinação, no burilamento pessoal e nas realizações nobres do bem em seu próprio proveito e do seu próximo. Isso porque o trabalho em benefício de outrem representa a essência sublime do amor encerrando em si mesmo, as divinas Leis do Universo.

Urge atentar para o fato de que, toda realização sem as diretrizes do amor, é semeadura improfícua, com danosas consequências para seus realizadores. O verdadeiro amor é substância criadora e mantenedora do Universo, é indiscutilvelmente o mais valioso tesouro que alguém pode conquistar, e, quanto mais se reparte, mais se multiplica, e valoriza. O amor cresce e se agiganta, nas mãos dadivosas que sabem doá-lo.

O cultivo do amor solicita o maior cuidado, e boa vontade, de tantos quantos desejarem cultivá-lo, pois, requer investimentos em adubos de humildade, paciência, e dedicação na terra do nosso coração, na plantação consciente da semente da boa árvore, que certamente garantirá uma colheita farta e saborosa.

Acima de qualquer objetivo material, trabalhemos primeiramente no desenvolvimento e crescimento das virtudes que adormecem no íntimo de nosso Ser, promovendo o necessário esforço para o seu desabrochar em seus nobres valores da moral e da ética em nosso mundo íntimo, realizando com alegria e responsabilidade a tarefa que a Soberana Sabedoria do Universo nos confiou, fazendo a parte que nos está destinada como contribuição pessoal para o progresso intelectual e moral de nossa sociedade.

“629. Que definição se pode dar da moral?
“A moral é a regra de bem proceder, isto é, de distinguir o bem do mal. Funda-se na observância da lei de Deus. O homem procede bem quando tudo faz pelo bem de todos, porque então cumpre a lei de Deus.”
630. Como se pode distinguir o bem do mal?
“O bem é tudo o que é conforme à lei de Deus; o mal, tudo o que lhe é contrário. Assim, fazer o bem é proceder de acordo com a lei de Deus. Fazer o mal é infringi-la.” (2)

Convém ressaltar, que só o suor do trabalho bem feito no bem, nos poderá conferir os benefícios da salutar experiência, cada lágrima de aflição e tristeza acende em nós a luz espiritual para o entendimento da dor do próximo. Não fosse assim, ninguém saberia entesourar compreensão e discernimento para socorrer e perdoar as atitudes infelizes dos semelhantes.

“Não é a cultura intelectual inoperante que te fará respeitável, e sim o espírito de serviço com que te devotares, em qualquer condição, à felicidade dos semelhantes.
Não é o êxito suscetível de sorrir-te na Terra, por alguns dias breves, a fonte de alegria real que procuras como os melhores anseios de coração, mas a paz de consciência, no dever bem cumprido, nas obrigações de cada dia.
Busquemos ser, antes de aparentar e fazer, antes de instruir.
A verdade espera nossa alma, em cada ângulo de caminho, dentro de nossa jornada para frente.
Assim, pois, construamos o nosso engrandecimento interior, porque, hoje ou amanhã, o Sol Divino projetará sobre nós a sua bendita claridade, revelando-nos, à luz meridiana, tais quais somos”. (3)

Importante notar também, que não se pode esperar por descanso ou por favores especiais os quais não fizemos por merecer, pois, as Leis Divinas são sábias e justas, concedendo a cada um segundo as suas obras. Não contemos em momento algum com a paz externa, enquanto não formos detentores da paz em nosso mundo íntimo.

Urgente se faz, seguirmos confiantes e operosos na tarefa de nossa renovação moral, enfrentando sarcasmos e censuras, vencendo passo a passo cada barreira do caminho evolutivo com dedicação, confiança e responsabilidade, valorizando os desafios propostos pelos que nos compartilham a caminhada e acima de tudo, conservando a consciência tranquila do dever retamente cumprido, lembrando que assim como o fruto pela árvore, o serviço bem executado dá testemunho do bom servidor.

Francisco Rebouças

Referências Bibliográficas:
1 – Pedro, (I Pedro, 4: 10).
2- Kardec, Allan. O Livro dos Espíritos – FEB, 76ª edição.
3 – Xavier, Francisco Cândido, Psicografia em Reunião Pública Data– 31-3-1950. Local – Centro Espírita Luiz Gonzaga, na cidade de Pedro Leopoldo, Minas. Livro: Através do Tempo.

Nota do Editor:
Imagem em destaque disponível em <http://www.fotos-imagens.com/img/conteudo/jesuscristo/jesuseospescadores.jpg>. Acesso em 14OUT2015.

Francisco Rebouças
Francisco Rebouças

Pós-Graduado em Administração de Recursos Humanos, Professor, Escritor, Articulista de diversos veículos de divulgação espírita no Brasil, Expositor Espírita, criador do programa: "O Espiritismo Ensina".

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como