Página InicialTextos EspíritasIniciação Espiritual

625 visualizações

Iniciação Espiritual

março 17, 2016

richard-simonetti-menorConta-se que Gandhi foi procurado, numa de suas comunidades, por dois homens que desejavam fazer sua iniciação espiritual. Ambos estavam entusiasmados com a oportunidade de conviver com o grande líder hindu, conscientes de que receberiam preciosas orientações.

O Mahatma recebeu-os de bom grado e, tão logo se instalaram, pediu-lhes que tomassem das vassouras e varressem o chão. Depois que descascassem batatas, cortassem verduras e rachassem lenha para o fogão.

À tarde encaminhou-os à limpeza das fossas nas aldeias vizinhas. Os dois iniciantes dos valores espirituais passaram o resto do dia desinfetando instalações sanitárias com água e creolina.

Ao anoitecer, foram convidados à meditação. No dia seguinte, a mesma rotina. No terceiro dia, um deles, aproximando-se de Gandhi, perguntou:

– Mestre, quando começa nossa iniciação?

– Já começou…

– Como assim?

– É aprendendo a servir de boa-vontade que entra­mos nos domínios da espiritualização.

Toda a sabedoria do Evangelho, em favor de nos­sa iniciação espiritual, está contida na recomendação de Jesus: Tudo o que quiserdes que os homens vos façam, fazei-o assim também a eles.

A mesma orientação, no Espiritismo, sintetiza-se na máxima de Allan Kardec: Fora da Caridade não há Salvação.

O próximo, portanto, é a nossa ponte para Deus, nosso abençoado caminho para os valores espirituais. E tanto mais caminharemos quanto maior o nosso empe­nho em servir, começando, como recomendava Gandhi, pelas tarefas mais simples, em obras filantrópicas, instituições religiosas, asso­ciações comunitárias…

* * *

Conscientes dessa realidade, os Centros Espíritas vêm organizando serviços assistenciais, com a criação de creches, berçários, hospitais, escolas, lares da infância e da velhice, casas de sopa, estendendo amplas oportunida­des de serviço às pessoas aflitas e angustiadas que os pro­curam, ensinando-lhes, por lição fundamental, que a chave mágica para a solução de seus problemas existen­ciais está na disposição de trabalhar em favor do seme­lhante.

Nesses núcleos de esforço edificante há as mais variadas atividades: visitação a enfermos e famílias po­bres; plantões de atendimento; preparo de refeições para as crianças; confecção e reparo de roupas; arrecadação e fornecimento de gêneros alimentícios; aplicação do pas­se magnético; controle da biblioteca; venda de livros; promoções beneficentes e muito mais. São tarefas singe­las, mas que sedimentam nos voluntários a inestimável vocação de servir.

Há quem justifique:

 – Não participo de atividades dessa natureza, mas tenho feito algo em favor do semelhante. Quando ba­tem à minha porta, sempre atendo; se o necessitado pro­cura-me na rua, estendo-lhe alguns trocados; contribuo para a manutenção de obras de benemerência social.

Isso tudo é louvável, mas insuficiente, mesmo porque feito eventualmente, quando somos solicitados e temos disposição, sem nenhum compromisso. É difícil desenvolver a vocação de servir sem o precioso estímulo que nos sustenta quando participamos de um grupo afim, integrando-nos em determinada atividade.

Se resolvemos visitar semanalmente enfermos de um hospital, levando-lhes palavras de conforto, é bem provável que não perseveremos por muito tempo. Mas, se estivermos ligados a uma equipe de visitadores de um Centro Espírita, haverá maior disposição, mesmo por­que os próprios companheiros nos cobrarão a assidui­dade.

Somente Espíritos muito evoluídos conseguem ser heróis anônimos nesse tipo de trabalho. Estes, entretanto, salvo em circunstâncias excepcionais, jamais se isolam, conscientes de que, se a união faz a força, a força do Bem está no esforço conjunto daqueles que se pro­põem a realizá-lo.

Richard Simonetti

Nota do editor:
Imagem ilustrativa e em destaque disponível em
<https://en.wikipedia.org/wiki/Mahatma_Gandhi>. Acesso em: 17MAR2016.

Richard Simonetti IN MEMORIAM
Richard Simonetti IN MEMORIAM

Richard Simonetti é de Bauru, Estado de São Paulo. Nasceu em 10 de outubro de 1935 e Desencarnou em 03 de Outubro de 2018. De família espírita, participou do movimento desde os verdes anos, integrado no Centro Espírita Amor e Caridade, onde desenvolveu largo trabalho no campo doutrinário e filantrópico. Orador e Escritor espírita, teve mais de cinquenta obras publicadas.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como