Página InicialTextos EspíritasComo lidar com os dias difíceis?

462 visualizações

Como lidar com os dias difíceis?

dezembro 3, 2016

wellington-balboÉ comum ouvir-se dizer: quero sombra e água fresca. Férias, não vejo a hora. Meu sonho é ganhar na mega-sena para viver longe das dificuldades.

São anseios humanos, afinal, sombra e água fresca não fazem mal algum. Dinheiro também é bem-vindo e férias é uma maravilha para repormos as energias gastas durante o ano de labuta.

Todavia, para que não nos decepcionemos mais adiante com os “espinhos” do caminho é bom estarmos atentos de que o planeta Terra não é um resort onde viemos para descansar, embora muitos queiram isso.

A vida aqui, como diria uma personagem, “não é brinquedo não”.

São dias de luta, batalha, incompreensões e aflições dos mais variados matizes. Será que sou amado? Será que conseguirei emprego? Passarei no vestibular? Esta enfermidade é curável? Indagações e mais indagações preenchem nossos dias, apoquentam nosso cérebro e geram dúvidas em nosso coração.

Não pense você que quero lhe desanimar de viver ou que estou brigado com o mundo. Nada disso. A ideia é apenas mostrar que as aflições e dúvidas pelas quais passamos aqui, são naturais ao nosso estágio evolutivo e, vou além, são necessárias para que ocorra nossa evolução.

Você poderá se perguntar: Como assim? Como vou crescer em meio a aflições, angústias e dúvidas? Primeiro passo é compreender que essas situações existirão.

E o segundo passo é entender que os dias difíceis que passamos aqui na Terra, se bem vividos, são os melhores para nosso progresso espiritual.

São nos dias difíceis, na ingratidão enfrentada com coragem, na enfermidade encarada com serenidade, na dificuldade financeira superada com criatividade que vamos exercitando a nossa “musculatura” espiritual.

Os dias fáceis são, como um descanso, para que nosso ser ganhe fôlego e prossiga na jornada, mas eles não serão e nem poderão ser eternos em nosso desfile por este mundo.

É preciso que as dificuldades surjam, é necessário que apareçam obstáculos, que convivamos com as adversidades a fim de treinarmos nossa paciência, resignação, respeito, capacidade de adaptar-se ao novo e, disposição para mudar se preciso for.

Nos dias fáceis, à sombra, desfrutamos da água fresca. E isso é muito bom.

No entanto, nos dias difíceis aprendemos que lutar é preciso e desistir deve estar fora de nossas possibilidades.

Certa vez o inesquecível Chico Xavier disse agradecer por todas as dificuldades enfrentadas na vida, pois foram elas, fundamentais, para o seu crescimento.

Chico tinha razão. Sem dificuldades nada de progresso.

O ideal é que cheguemos neste estágio de agradecer os dias difíceis, os colegas complicados, os adversários gratuitos e as dificuldades de todos os tipos. Afinal, sem esses componentes como amadurecer e construir bases sólidas para nossa edificação?

Wellington Balbo

Nota do Editor:
Imagem em destaque disponível em <https://dentedeleaokidsdotcom.files.wordpress.com/2015/10/shutterstock_54765676.jpg>. Acesso em 03DEZ2016.

dias-dificeis

Wellington Balbo
Wellington Balbo

Professor universitário, Bacharel em Administração de Empresas e licenciado em Matemática, Escritor e Palestrante Espírita com seis livros publicados: Lições da História Humana; Reflexões sobre o mundo contemporâneo; Espiritismo atual e educador; Memórias do Holocausto (participação especial); Arena de Conflitos (em parceria com Orson Peter Carrara); Quem semeia ventos... (em parceria com Arlindo Rodrigues).

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como