Página InicialTextos EspíritasFraterninho e a invasão das formigas

637 visualizações

Fraterninho e a invasão das formigas

setembro 7, 2017

Era dia de trabalhar na horta. A terra estava preparada e adubada.

As professoras organizaram os grupos de crianças que queriam aprender a plantar.

Havia sementes de verduras e frutas, e o espaço da horta foi dividido para cada alimento.

Todo mundo ajudou e foram plantadas as sementes. Também foram plantadas salsa e cebolinha, que os cozinheiros colheriam mais tarde para usar no preparo do almoço.

A chuva ajudou a regar e logo as plantinhas começaram a surgir. Tinha couve, repolho, chuchu, tomate e muitas frutas.

Que beleza! É uma obra divina.

Depois que as verduras e frutas crescem, é legal pegar uma bacia ou outro utensílio para colhê-las. A terra nos dá o alimento e por isso devemos ter cuidado com ela. A gente prepara a terra, coloca adubo para que ela fique mais forte e depois planta. E ela responde ao nosso esforço nos dando o alimento. Aí é só colher, preparar e comer. E como é gostoso comer a couve refogadinha, plantada sem agrotóxicos que são os venenos para matar os bichinhos que comem as plantas, como as formigas, por exemplo. Sem os agrotóxicos, todas as verduras e legumes ficam mais gostosos e mais saudáveis.

Tudo corria às mil maravilhas na horta do Remanso.

Um dia, porém, alguém fez uma queimada em área vizinha. Os insetos fugiram e começaram a aparecer formigas.

No início pareceu normal.

Um dia, apareceram muitas formigas e começaram a devorar as verduras.  Fraterninho ficou preocupado, pois pensava em dar intuição às cozinheiras de preparar um delicioso suco de couve para as crianças do Remanso, pois a couve é rica em ferro e combate a anemia e também faz os intestinos funcionarem melhor.

A única forma de combater as formigas é colocando inseticida, mas nem os encarnados e nem desencarnados queriam colocar. Então, tinha que existir alguma forma de combater as formigas sem usar inseticida.

-Vamos todos procurar uma forma de combater as formigas, dizia Fraterninho. Tem que existir alguma forma de mandar as formigas embora.

-Vou visitar o cacique da minha tribo, disse o indinho Gato Selvagem. Ele deve saber o que fazer. Vou encontrar com ele em sonho, quando ele dormir.

– E eu também vou procurar meus avós africanos, disse Tiãozinho. Eles devem saber algo a respeito

-Tamanduá come formiga, disse Clarinha. Vi num desenho animado.

– Onde vamos arrumar tantos tamanduás para combater as formigas? Será que poderemos fazer isso? Perguntou Mustafá.

-Temos que arranjar outra solução, disse Fraterninho. Vamos procurar os mentores do Remanso para nos orientar.

Após algumas horas cada um trouxe sua contribuição para a solução do problema.

E Tiãozinho foi o primeiro a apresentar sua solução.

-Meus avós disseram que na África eles usavam gergelim, hortelã, calêndula e arruda para afastar as formigas.

-O cacique de minha tribo, disse Gato Selvagem, disse que cortar as gramíneas mata as formigas porque elas ficam sem comida. E também escavar o formigueiro e retirar a rainha e conservar a mata nativa, ou seja, a mata própria do lugar, porque os pássaros e os insetos se alimentam das formigas.

E você Mustafá, que solução trouxe? Perguntou Fraterninho.

-Meus parentes árabes desencarnados disseram que usavam cravo-da-índia e folhas de louro para afastar as formigas.

-Meus avós japoneses disseram que casca de tangerina, folhas de louro e cravo-da-índia possuem óleos e que o cheiro deles é desagradável às formigas e elas se afastam, – disse Issami.

-E você Fraterninho, perguntou aos mentores como afastar as formigas? Perguntou Clarinha.

-Sim, os mentores não querem colocar veneno comum porque pode fazer mal a todo mundo. Eles falaram que conhecem o veneno ecológico que não faz mal e vão escrever a receita através do tio Raul.

Na sessão do dia seguinte, os mentores escreveram a receita do veneno ecológico e nesta receita são usadas as próprias formigas.

O veneno ecológico foi preparado e colocado na horta. As formigas foram embora, outras morreram e assim acabou a destruição da horta.

As verduras cresceram e daí a algumas semanas, uma das cozinheiras preparou um delicioso suco de couve para as crianças do Remanso, fez um refogadinho de chuchu e uma bela salada de repolho com tomates.    

Orleide Felix de Matos

Nota do Editor:
Imagem em destaque disponível em <http://www.jardimdeflores.com.br/dicas/a13formigas.htm>. Acesso em: 07SET2017.

Orleide Felix de Matos
Orleide Felix de Matos

Nutricionista no Grande ABC, Espírita desde 1971, alia o seu conhecimento da Língua Italiana e paixão pela divulgação da doutrina espírita para divulgar o Espiritismo aos irmãos da Itália, através de seus três blogs, uma página no Facebook chamada Le Nostre Persone Care Vivono nell'Aldilà e um canal no Youtube.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como