Página InicialTextos EspíritasQual tem sido nossa contribuição para que o Espiritismo cumpra sua missão?

843 visualizações

Qual tem sido nossa contribuição para que o Espiritismo cumpra sua missão?

janeiro 31, 2018

Urge refletir sobre a importância que estamos dando aos ensinamentos da Doutrina Espírita, adquiridos nos vários grupos de estudos, e também em palestras, seminários, congressos e etc., dos quais tomamos parte e que sempre nos acrescentam algo de positivo para um maior e melhor conhecimento e entendimento dos ensinos doutrinários, com vistas ao nosso desenvolvimento intelectual, moral e espiritual.

Assim sendo, precisamos saber, inicialmente, como proceder, efetivamente, para que a mensagem espírita possa alcançar sua finalidade primordial de alavancar o progresso da humanidade em todos os aspectos, assumindo, corajosamente, a parte que nos cabe realizar, recorrendo às instruções disponibilizadas na Codificação do Espiritismo pelos Imortais da Vida Maior, em resposta aos questionamentos de Allan Kardec sobre o assunto, conforme segue abaixo:

“799. De que maneira pode o Espiritismo contribuir para o progresso?
Destruindo o materialismo, que é uma das chagas da sociedade, ele faz que os homens compreendam onde se encontram seus verdadeiros interesses. Deixando a vida futura de estar velada pela dúvida, o homem perceberá melhor que, por meio do presente, lhe é dado preparar o seu futuro. Abolindo os prejuízos de seitas, castas e cores, ensina aos homens a grande solidariedade que os há de unir como irmãos.

802. Desde que o Espiritismo deve marcar um progresso da Humanidade, por que os Espíritos não apressam esse progresso através de manifestações tão gerais e patentes que pudessem levar a convicção aos mais incrédulos?
Desejaríeis milagres, mas Deus os semeia a mancheias nos vossos passos e tendes ainda homens que os negam. O Cristo, ele próprio, convenceu os seus contemporâneos com os prodígios que realizou? Não vedes ainda hoje os homens negarem os fatos mais patentes que se passam aos seus olhos? Não tendes os que não acreditariam, mesmo quando vissem? Não, não é por meio de prodígios que Deus conduzirá os homens. Na sua bondade, ele quer deixar-lhes o mérito de se convencerem através da razão.” (1)

Podemos deduzir das questões acima, que a destruição do materialismo em nosso dia a dia, está atrelada ao excessivo valor que atribuímos aos bens terrenos, e a pouca ou quase nenhuma importância aos bens espirituais, em virtude do nosso atual estado evolutivo, onde só nos preocupamos com os benefícios que podemos usufruir na vida física, em detrimento da vida de Seres Imortais, criados para a eternidade.

Necessário se faz que dediquemos toda atenção ao fato de que a Doutrina Espírita explicando de forma clara e racional as palavras de Jesus, salienta que a vida física presente é passageira e que a vida espiritual é a verdadeira vida do Ser imortal criado para a felicidade e a paz de espírito que tanto almejamos alcançar, mas que para isto, cada um de nós recebeu do Criador os recursos necessários para construirmos e solidificarmos o reino de Deus em nosso mundo íntimo.

Ainda nos chamam a atenção para o fato de que não adiantaria a espiritualidade realizar “milagres”, que não existem, pois mesmo assim, de nada adiantariam, pois, sem os benefícios do trabalho próprio, despendido na conquista das próprias experiências, nenhum ser humano poderia adquirir conhecimento prático, o que a proposta da reencarnação determina como finalidade, crescimento e desenvolvimento do homem, conforme questão abaixo.

“167. Qual o fim objetivado com a reencarnação?
Expiação, melhoramento progressivo da Humanidade. Sem isto, onde a justiça?” (2)

Claro está que todos nós precisamos saber da nossa responsabilidade de espírita, vivenciando os desafios propostos pela vida a cada um de seus adeptos, norteando nosso procedimento pelos ensinos dessa nobre doutrina, que representa a revivência dos ensinamentos e exemplos deixados por Jesus a mais de dois mil anos atrás.

Encerramos este modesto artigo com as sábias palavras de Emmanuel, conforme segue.

“O Espiritismo será, pois, indiscutivelmente, a força do Cristianismo em ação para reerguer a alma humana e sublimar a vida.
O Espaço Infinito, pátria universal das constelações e dos mundos, é, sem dúvida, o clima natural de nossas almas, entretanto, não podemos esquecer que somos filhos, devedores, operários ou companheiros da Terra, cujo aperfeiçoamento constitui o nosso trabalho mais imediato e mais digno.
Esqueçamos, por agora, o paraíso distante para ajudar na construção do nosso próprio Céu.
Interfiramos menos na regeneração dos outros e cogitemos mais de nosso próprio reajuste, perante a Lei do Bem Eterno, e, servindo incessantemente com a nossa fé à vida que nos rodeia, a vida, por sua vez, nos servirá, infatigável, convertendo a Terra em estação celestial de harmonia e luz para o acesso de nosso espírito à Vida Superior.” (3)

Francisco Rebouças

Referências Bibliográficas
(1) Kardec, Allan. O Livro dos Espíritos, FEB. 76ª edição.
(2) Idem, Idem.
(3) Xavier, Francisco Cândido, pelo espírito Emmanuel. Livro: Roteiro, cap. 38

Nota do Editor:
Imagem em destaque disponível em < http://insurancebase.co.nz/wp-content/uploads/2017/08/helping-hand2.jpg>. Acesso em 31JAN2018.

Francisco Rebouças
Francisco Rebouças

Pós-Graduado em Administração de Recursos Humanos, Professor, Escritor, Articulista de diversos veículos de divulgação espírita no Brasil, Expositor Espírita, criador do programa: "O Espiritismo Ensina".

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como