Página InicialEntre os vícios, qual o que podemos considerar radical?

178 visualizações

Entre os vícios, qual o que podemos considerar radical?

maio 16, 2020

Esta é a pergunta 913 de O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec. A resposta pode surpreender a alguns, mas não me parece haver outra: é o egoísmo.

Baseada em observação, digo que o egoísmo é resultado de um exagerado interesse por si mesmo, o qual nega espaço para sentimentos e necessidades dos outros; é uma espécie de autoamor doentio que provoca individualismo, motiva o orgulho, fere quem esteja no caminho da própria satisfação.

O egoísmo causa dependência, o egoísta deixa de enxergar o outro como quem também precisa do que ele almeja.  “Farinha pouca, meu pirão primeiro”, diz o ditado popular. Essa é a regra de conduta do egoísta.

Os espíritos da codificação (obras que fundamentam a filosofia espírita), repetem incansavelmente que o grande mal da humanidade é o egoísmo e que dele é que deriva todo o mal. Dizem que uma boa análise dos vícios mostra que imperfeições e sofrimentos humanos o tem como pano de fundo. Para destruir todo os maus sentimentos e ações do homem, destrua-se o egoísmo antes, nos alertam convictamente.

O egoísta despreza as necessidades alheias. É o ego dividindo e classificando o “eu” como melhor que o “tu”, o “nós”, o “vós”, o “eles”. Ninguém pretende que nos classifiquemos de forma inferior para privilegiar os outros, mas fazer o contrário, superestimar a nós mesmos em detrimento dos outros, e por isso privilegiar direitos ou tomar os que não são conquistados, é provocar caos social em menor ou maior âmbito da vida coletiva.

Tem razão a Doutrina Espírita quando diz que o egoísmo é incompatível com a justiça, o amor e a caridade. E que é preciso extirpar esse sentimento negativo de nossas vidas e instituições, para que valores melhores sejam implantados nas relações humanas.

Não temos, na Terra, verdades absolutas, ou melhor, ignoramos quais são as verdades absolutas, mas é certo que uma visão mais espiritual da existência, menos materialista, o agir com uma conduta mais afetiva, respeitosa, educada, compartilhando valores morais e materiais, tornará o mundo lugar melhor para se viver.

Eu não posso fazer isso sozinha, nem você pode fazer isso sozinho. Mas, juntos, o mundo será como queremos que seja. Lutemos contra o egoísmo e convertamos nossas ações em caridade, que é o amor transcendendo o espaço do coração.

Vania Mugnato de Vasconcelos

Nota do editor:
Imagem ilustrativa e em destaque disponível em <https://www.folhavitoria.com.br/geral/blogs/caminhos-de-fe/2020/03/26/artigo-saude-emocional-durante-o-isolamento-social-o-que-fazer/>. Acesso em: 16MAI2020.

Vania Mugnato de Vasconcelos
Vania Mugnato de Vasconcelos

Advogada, Bacharel em Serviço Social, pós-graduada em Recursos Humanos. Casada, mãe, espírita desde os 12 anos de idade, palestrante em vários centros no interior de São Paulo. Trabalhadora do CE João Batista de Jundiaí – SP, atua na casa como palestrante e Coordenadora do Grupo de Pais. Discípula de Jesus pela Aliança Espírita Evangélica do ABC, é oradora em casas espíritas vinculadas à USE Regional Jundiaí. Também é oradora em seminários realizados pelo Instituto Chico Xavier de Itu, em parceria com outros trabalhadores da seara espírita. Articulista espírita em redes sociais, jornais e blogs, seus textos e poemas estão disponíveis ao público na internet, bem como possui canal de vídeos no Youtube contendo palestras e estudos espíritas.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como