Página InicialTextos EspíritasEstejamos atentos

328 visualizações

Estejamos atentos

setembro 7, 2022

A jornada humana tem por meta nos conduzir, pouco a pouco, ao patamar evolutivo da perfeição relativa, quando, junto ao Pai, continuaremos a contribuir usando todo o aprendizado acumulado ao longo de muitas existências. Seremos auxiliares na manutenção da ordem do Universo, sempre sob a direção do Criador.

O método determinado por Deus para nos conduzir à perfeição possível, ocorre através das experiências acumuladas por meio de muitas existências – a lei da reencarnação -, e, durante estes períodos em que estamos encarnados em um mundo qualquer, somos submetidos sistematicamente a provas, contudo, quando não as aproveitamos, sendo derrotados destas verificações, em função de nossas escolhas, podemos causar prejuízos aos semelhantes e a nós mesmos, que se traduzem por expiações.

E, tudo indica: os Espíritos por hora vinculados à Terra, possuem várias etapas expiatórias a cumprir em função de um passado não tão nobre.

Sendo assim, os acidentes morais e materiais, de toda ordem, devem ser esperados por todos, regularmente, alguns Espíritos mais afetados do que outros, mas, geralmente, não há quem escape destes percalços, representando inacabadas e novas provas, ou expiações originadas em existências anteriores, se não fosse assim, o mundo não seria ainda de provas e expiações.

Até os missionários, experimentam verificações e, como ainda não são perfeitos, podem também passar por provas e pequenas expiações, necessárias para depurar os débitos remanescentes.

Contudo, estas dificuldades jamais visam a nossa punição, apenas a nossa evolução, são elementos educativos indispensáveis para alcançar a meta final.

Então, caso a nossa jornada esteja caminhando sem nenhum conflito íntimo, nenhuma dificuldade de monta, sem nenhuma apreensão financeira, boa saúde, relacionamentos afetivos sem crises, tudo aparentemente caminhando bem, é preciso aguçar a percepção, pois há algo errado, alguma coisa não está correta, é um típico sinal de atenção.

Todavia, isto não parece um absurdo? Então, eu tenho que desejar problemas, mais sofrimentos, adicionais dificuldades, para me sentir tranquilo interiormente!?

Na realidade, não é assim, pois ninguém gosta de sofrer, e a proposta do Criador, certamente, não é esta, mas em orbes de resgates, como o nosso ainda se caracteriza, tenhamos a certeza de que, se não estivermos envolvidos em nenhum drama moral, é sinal de que não iremos progredir, pois somos testados durante as dificuldades, uma vida sem desafios é uma existência quase perdida.

São estes reveses que nos preparam para novas conquistas, nos capacitam para outras nobres empreitadas, fortalecem a nossa resistência íntima, proporcionam ocasiões para os tão necessários testemunhos de fé e resignação, testam a nossa paciência e disciplina.

 Recordemos que o próprio Allan Kardec se viu arruinado financeiramente e, diga-se, não por sua responsabilidade,  contudo, não se deixou abalar, superou esta significante dificuldade.

Contudo, os mais rebeldes, se revoltam contra estas indispensáveis verificações, se encastelando, irritadiços, em seus mundos íntimos, com condutas que em nada os auxiliam, agravando, desta forma, seus quadros expiatórios, que surgirão inapelavelmente no futuro, quando forem convocados à novas reencarnações, uma vez que, dívida não paga indica saldo devedor à economia moral do Planeta.

Sejam quais forem os dramas morais enfrentados, armemo-nos com as armas da esperança, da pacificação e da mansuetude. A revolta em nada facilitará estas passageiras etapas de aprendizado. Munamo-nos da fé, mas da fé lastreada no raciocínio e compreensão dos mecanismos divinos de evolução, de modo a enfrentar estes momentos difíceis com determinação e aproveitamento, sem cruzar os braços a espera de um milagre que nunca virá.

E mais, por hora, em função de nossa miopia espiritual, ainda cremos que estes infortúnios são injustos, ou, quem sabe exagerados, desproporcionais, contudo, nestas particulares horas de aflição, lembremos de um dos principais atributos da Divindade: a infinita bondade e justiça e, convictos de que Ele só nos deseja o bem, pacifiquemo-nos e prossigamos, hoje e sempre.

Rogério Miguez

Nota do Editor:
Imagem ilustrativa e em destaque disponível em <https://pixabay.com/pt/photos/homem-pessoa-vis%c3%a3o-inspira%c3%a7%c3%a3o-sol-407808/>. Acesso em: 07SET2022.

Rogério Miguez
Rogério Miguez

Trabalhador da Doutrina Espírita desde a Mocidade, tendo atuado no estado de Rio de Janeiro em algumas Casas e, atualmente, em São José dos Campos/SP nos Centros Amor e Caridade, Jacob e Divino Mestre. Colabora em Cursos, Exposições, Atendimento Fraterno e Passes, sendo articulista dos periódicos Reformador e Revista Internacional de Espiritismo.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como