338 visualizações

Mundos

fevereiro 3, 2023

O Capítulo III de O Evangelho Segundo o Espiritismo, que tem por título “Há muitas moradas na Casa de meu Pai” é maravilhoso e descortina, para todos nós, os diferentes mundos em que vivemos no passado, no presente e viveremos no futuro.

Mas chamo a atenção para o pequeno, porém precioso texto, de Allan Kardec, logo depois da citação do Evangelista João, “Diferentes Estados da Alma na Erraticidade”.

O texto tem apenas dois curtos parágrafos e traz outro significado para a palavra morada. Diz-nos que, no mundo espiritual, o nosso estado de espírito também nos coloca em situações diferentes, sem ser exatamente um lugar, geograficamente falando.

Kardec nos diz que, dependendo do maior ou menor grau de espiritualização e padrão moral do espírito, poderemos estar ou viver, mais ou menos felizes, independente de lugar ou circunscrição, algo muito fácil de entender se pensarmos no espírito encarnado mesmo. Explico.

Se hoje sou mais apegado à matéria, se sou egoísta, orgulhoso, se carrego culpa na minha consciência, o meu mundo interior, a minha morada é ruim, meu coração não tem paz e não consigo viver em harmonia onde quer que eu esteja, quero dizer posso ser o mais infeliz e atormentado dos homens vivendo em uma mansão na Suécia.

Ao passo que se pouco me apegar ao material e desapego não significa não possuir, significa não permitir que o material se aposse de mim; se cultivo em meu interior os melhores sentimentos, se me amo e me respeito, conseguindo refletir esse amor no meu próximo, se me esforço para praticar todos os maravilhosos ensinamentos que o Cristianismo e essa doutrina já me trouxeram, tenho paz e harmonia em mim, ainda que possa melhorar, e essa paz irá morar no meu interior e estarei e viverei em harmonia onde quer que seja. Posso ser feliz dentro de qualquer comunidade, materialmente miserável desse Brasil.

Mas você pode me questionar que Kardec está falando, no texto, da erraticidade e não daqui. E diante desse argumento eu pergunto: Como será o nosso primeiro dia no mundo espiritual, após a atual experiência? E eu ouso responder, será exatamente como o último dia aqui na Terra. Vivemos apenas uma vida, com intervalos encarnados e outros desencarnados, somos, o tempo todo exatamente a mesma pessoa, experenciando momentos de aprendizagem e evolução. Assim que fecharmos os olhos terrenos e abrirmos os espirituais, de um dia para o outro não teremos mudado, seremos nós mesmos, como éramos no dia anterior. Já sabemos que não há céu, nem inferno, nem prêmio, nem castigo, muito menos descanso eterno.

A morada em que viveremos é a mesma que habitamos hoje, a do coração. Viveremos em meio aos pensamentos e sentimentos que cultivamos no nosso interior, essa é a nossa morada hoje e será a mesma amanhã, estejamos encarnados ou desencarnados, portanto, é dessa casinha que devemos cuidar com amor e carinho e só deixar habitá-la o que há de melhor em nós, sempre nos esforçando por melhorá-la, porque é nela que moraremos agora e sempre.

André Tarifa

Nota do Editor:
Imagem em destaque disponível em <https://pixabay.com/pt/photos/astronomia-constela%c3%a7%c3%a3o-sombrio-1866822/> . Acesso em 02FEV2023.

André Luis R. Tarifa
André Luis R. Tarifa

Trabalhador espírita desde os 12 anos de idade, eterno aprendiz, tenho um canal no Youtube onde compartilho meu aprendizado e as belezas da poesia. Atualmente desenvolvo os meus trabalhos no Centro Espírita Mansão da Esperança em São Paulo, SP.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue o cartaz do seu evento espírita.

Clique aqui