301 visualizações

Mimetismo espiritual

março 28, 2023

Enquanto encarnados ou desencarnados, refletimo-nos naturalmente uns nos outros
“Parafraseando o brocardo popular poderíamos dizer:
dize-me o que fazes e dir-te-ei quem  te  assiste.”
François C. Liran

 

André Luiz, através da mediunidade de Waldo Vieira, faz uma série de indagações e tece oportunas ilações que convidamos o leitor a acompanhar: “de que assunto mais gosta? Que corrente de opiniões você acompanha? Que é que você transmite a quem lhe ouve as palavras?  Que tipo de informações mais prefere?

Pense de você, como sendo um canal para os outros e com facilidade verificará a urgente necessidade de nos vincularmos à influência do Cristo para sermos com Ele, entre as criaturas irmãs, os construtores tranquilos do esperado Reino dos Céus”.

Na questão nº 459 de “O Livro dos Espíritos”, verificamos a intensa realidade do intercâmbio e vinculação entre os dois mundos: corporal e espiritual.

Continua André Luiz: “(…) não se faz preciso o desenvolvimento mediúnico para que uma pessoa se converta em intérprete dos Espíritos. Bastará nossa inclinação para a luz ou a sombra.

Despertemos para semelhante fato de nossa vida de Espíritos. Enquanto encarnados ou desencarnados, refletimo-nos naturalmente uns nos outros…

Estude o mimetismo espiritual em você próprio.  Conforme alertou João (1): “não creiais a todo Espírito, experimentai se os Espíritos são de Deus”.

As respostas às questões acima, indicarão onde nos situamos física, espiritual e moralmente.

Onde estão sintonizados os canais de nossa vida?! Urge verificar-lhes os pontos de origem e fiscalizar-lhes as ligações.

Finalmente, aconselha André Luiz: “chamados à causa da Verdade e do Bem, alcemos os corações e mentes ao Alto, de modo a nos erigirmos em transmissores de paz, suscetíveis de espalhar elementos edificantes de que sejamos portadores, policiando o cérebro, ouvido e anotações pessoais, porquanto pensamos do que vemos, falamos do que ouvimos e fazemos do que observamos… A fim de sermos canais da Espiritualidade Superior, é imprescindível procuremos enxergar, escutar e raciocinar para o bem comum”.

Daí vamos compreendendo melhor o que Jesus quis dizer quando nos aconselhou (2): “vigiai e orai”.      

Rogério Coelho

Referências:
(1) BÍBLIA, N.T. I João. Português. O novo testamento. Tradução de João Ferreira de Almeida. Rio de Janeiro: Imprensa Bíblica Brasileira, 1983, cap. 4, vers.1; e
(2) BÍBLIA, N.T. Português. O novo testamento.Tradução de João Ferreira de Almeida. Rio de Janeiro: Imprensa Bíblica Brasileira, 1983, cap. 26, vers.  41.

Nota do editor:
Imagem ilustrativa e em destaque disponível em <https://www.significados.com.br/mimetismo/>. Acesso em: 28MAR2023.        

Rogério Coelho
Rogério Coelho

Rogério Coelho nasceu na cidade de Manhuaçu, Zona da Mata do Estado de Minas Gerais onde reside atualmente. Filho de Custódio de Souza Coelho e Angelina Coelho. Formado em Jornalismo pela Faculdade de Minas da cidade de Muriaé – MG, é funcionário aposentado do Banco do Brasil. Converteu-se ao Espiritismo em outubro de 1978, marcando, desde então, sua presença em vários periódicos espíritas. Já realizou seminários e conferências em várias cidades brasileiras. Participou do Congresso Espírita Mundial em Portugal com a tese: “III Milênio, Finalmente a Fronteira”, e no II Congresso Espírita Espanhol em Madrid, com o trabalho: “Materialistas e Incrédulos, como Abordá-los?” Participou da fundação de várias casas Espíritas na Zona da Mata Mineira.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue o cartaz do seu evento espírita.

Clique aqui