132 visualizações

Os tempos de paz

novembro 24, 2023

…”a minha paz vos dou”… (1)

Certamente que todos anelamos pela paz, porém, ela possui uma trajetória diferente do que a maioria de nós imaginamos.

Rumores de conflitos, guerras, levantes armados, violência de grupos, sem qualquer dúvida angustia os corações, trazendo projeções sombrias de um futuro incerto, o que faz pesar sobre o parco entendimento da maioria das criaturas humanas o entendimento de que o mundo não tem jeito e tudo caminha para o caos.

É preciso considerar que o mundo possui uma direção, ela está nas mãos do Cristo de Deus, Nosso Senhor e Mestre, e Ele nos prometeu uma terra pacífica para o futuro, onde a humanidade viverá em paz, disse Ele: “Os mansos possuirão a Terra” (2), fazendo-nos acreditar que não haverá o fim, mas uma mudança para melhor.

Nós medimos o mundo pelos valores que temos, pelos sentimentos que possuímos, e, como estamos longe ainda da moral ideal é natural que experimentemos insegurança e desconforto com tudo o que acontece. É necessário que tomemos horror ao mal, devido às suas consequências dolorosas, para deixar de praticá-lo.

Seguramente quando nos tornarmos melhores teremos mais suavidade nas relações humanas e um irmão só terá coragem de fazer para o outro o bem. Ao nos prometer a Sua Paz, Jesus está nos convidando a seguir os seus exemplos: não revidar, perdoar; não alimentar o mal de nenhuma forma, especialmente não divulgando-o através de comentários desairosos, ou de o alimentarmos com a projeção do nosso pensamento e as energias de nossos sentimentos contrários à lei de amor trazida pelo Senhor.

A caridade, ao praticá-la em todo o sentido que se possa concebê-la, material e moral, modela-nos uma nova natureza, tornando-nos mais acessíveis e compreensivos aos nossos irmãos. Natural que sempre teremos nossas ideias e convicções, mas saberemos seguramente respeitar as dos outros, sem violentar a maneira de ser de qualquer forma que seja, isso será o fim de todos os conflitos entre as pessoas. Afirmam os espíritos venerandos, “É na caridade que deveis procurar a paz do coração…” (3), porque somente aquele que não a possui alimenta sentimentos negativos na sua intimidade sentindo-se motivado a ferir o seu semelhante, quem ama procura fazer o bem.

Os tempos de paz no mundo serão aqueles da paz em nosso coração.

Adelvair David

Referências:
(1) João 14:27 (Jesus);
(2) Mateus 5:5 (Jesus); e
(3) Cap. XIII, item 11, O Evangelho Segundo o Espiritismo.

Adelvair David
Adelvair David

Dirigente, Trabalhador e Orador Espírita no Grupo Espírita Beneficente "Maria Dolores", na Cidade de Jales, interior de SP.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue o cartaz do seu evento espírita.

Clique aqui