Página InicialTextos EspíritasA preocupação necessária

38 visualizações

A preocupação necessária

março 22, 2024

“ Não andeis, pois, ansiosos pelo dia de amanhã, pois o dia de amanhã a si mesmo trará o seu cuidado. A cada dia basta o seu mal”. Palavras de Jesus relatadas pelo evangelista Mateus: cap. 6, v.34.

Os dias atuais são de intensas atribulações.

As preocupações são muitas. Ao viver em sociedade e usufruindo o progresso que a humanidade atingiu pagamos um preço, às vezes, muito alto.

Diante dos desafios que temos, diariamente, pela frente, procuremos entender bem o que é a preocupação necessária e a desnecessária ansiedade.

A preocupação deve ser aquele estado mental que nos prepara para enfrentarmos a questão desafiadora diante de nós objetivando a devida solução.

A ansiedade já é um estado mental mórbido, que nos atrapalha e prejudica ao invés de ajudar.

Ela é um estado psíquico de tensão emocional e se manifesta de várias maneiras: irritabilidade, inquietação, pensamento acelerado e desarmônico e insônia.

Geralmente se transforma em sintomas físicos: dor de cabeça, tontura, garganta seca, gastrite, hipertensão, chegando até mesmo a provocar AVC, acidente vascular cerebral e infarto.

Portanto, precisamos aprender a usar a preocupação de forma positiva e eliminar ou diminuir a ansiedade.

Nesta oportunidade, buscaremos os estudos da Dra. Elaine Aldrovandi, que analisa a ansiedade fora de controle. “A ansiedade tem como principal sintoma a expectativa apreensiva ou preocupação exagerada, mórbida. A pessoa está a maior parte do tempo preocupada em excesso. Além disso tem inquietude, cansaço, dificuldade de concentração, irritabilidade, tensão muscular, insônia, sudorese, palpitações, diarreia, má digestão, etc. Esses sintomas são crônicos – estão presentes a maior parte dos dias, por muitos meses ou anos. Alguns pacientes informam que sempre foram tensos ou nervosos, desde crianças.

Passamos a maior parte do tempo preocupados com o futuro ou relembrando o passado com mágoa ou culpa. Dedicamos bem pouco tempo ao nosso presente, esquecemo-nos de que não podemos mudar o passado e que o futuro depende do que fizermos hoje.

Quem quiser viver com menor grau de ansiedade precisa disciplinar:

Analise-se e responda: o que é essencial, importante e interessante realizar em sua vida? Dedique-se a conquistar isso, nessa ordem exata.

Viver de modo a concentrar toda a inteligência e vontade no que é essencial, no momento presente.

Defina seus objetivos:

O que precisa ser mudado em sua vida?

O que você tem que fazer para mudar?

O que o(a) impede de realizar essas mudanças?

Faça tudo com amor para que o remorso e a culpa não lhe consumam quando você erra.

Esqueça o passado, pois ele já está escrito e não pode ser mudado; preocupe-se com o presente, pois ele determinará seu futuro.”

Reflitamos nas considerações da Dra. Elaine Aldrovani, médica homeopata e de clínica geral, lançadas em seu livro: Seja Feliz Diga Não à Depressão às páginas 95 a 99.

Não podemos deixar que nossos pensamentos, sentimentos e emoções atuem no “mar de nosso ego” como um barco sem leme, sem remo e sem motor; simplesmente sendo empurrado, ao sabor do acaso, pelo vento e pelas ondas. Ele poderá se arrebentar nos arrecifes.

No controle da ansiedade é necessário assumir conscientemente o controle dos pensamentos, analisar as emoções e dirigir os sentimentos. Ante o problema que a gera, questionemos a sua causa, a sua realidade e as consequências boas ou más para nossas vidas.

Filtrar: só vale o que for efetivamente bom para nós e para o próximo.

Assim agindo faremos da preocupação um instrumento útil para a nossa autoeducação e evolução.

Aylton Paiva

Aylton Paiva
Aylton Paiva

Cooperador na Casa dos Espíritas, em Lins, interior de SP, estudioso do Espiritismo e desejoso de aplicar sua Filosofia na própria vida, além de Esperantista.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como