97 visualizações

Ressentidos

março 23, 2024

Asseverou Jesus, “o reino dos céus está dentro de vós” (1).

O amor é a meta, o objetivo para o qual todos nós rumamos por escolha, ou impulsionados pelos mecanismos da vida, que nos ajudam a crescer para Deus.

Muitas vezes, quando a vida não sorri como gostaríamos, rebelamo-nos contra ela, consequentemente contra o seu autor, o Pai celeste. E, ressentidos, passamos a viver sob um clima de amargura e infelicidade. O vitimismo toma conta da nossa mente e coração e rebelados passamos a punir todos aqueles que tiverem contato conosco, especialmente os mais próximos, sendo duros, insensíveis, cruéis, indiferentes, críticos, maldosos até ingratos, responsabilizando a tudo e a todos pelo nosso desconforto íntimo.

Há um céu a ser construído dentro de nós, que são as conquistas do amor que nos propomos viver. Ele vai tomando forma em nossa natureza íntima trazendo-nos alegria e paz. É a felicidade imperturbável que ninguém pode nos tirar, são os sentimentos nobres que passam a conduzir a nossa vida.

O que nos angustia é fruto do choque de retorno, ao praticarmos o mal recebemos os seus efeitos que nos atormentam física e espiritualmente. Não é ferindo os outros que nos sentiremos melhores, mas trabalhando a aceitação e a compreensão de que não estamos onde estamos por acaso. E que as provas que nos alcançam, na maioria das vezes escolhidas por nós mesmos (2), têm o objetivo de nos aperfeiçoar, nos auxiliar a desenvolver melhores sentimentos a fim de sermos verdadeiramente felizes. Afinal, já vivemos muitas vidas e trouxemos acertos e reparações para fazer, que demandam esforços e muita perseverança.

Allan Kardec ensina que o sacrifício mais agradável a Deus é o do próprio ressentimento (3), porque ele paralisa o nosso progresso. Crendo-nos vítimas de um destino que nos faz mal, não aprendemos com as experiências da vida, sendo o perdão, especialmente, uma necessidade do espírito para a conquista da paz.

Comenta o codificador do espiritismo que o caminho para vencer esse comportamento emocional é limpar o coração mudando o pensamento de qualquer ideia negativa contra o próximo, Assim, livres mentalmente evitaremos o ódio, a mágoa e qualquer animosidade que venha prejudicar o nosso bom relacionamento com os nossos irmãos.

Quem se harmoniza com o próximo também o faz com Deus no seu coração.

Adelvair David

Referências:
(1) Lucas 17:21.
(2) O livro dos Espíritos, Questão 258.
(3) O Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. X, item 8.

Adelvair David
Adelvair David

Dirigente, Trabalhador e Orador Espírita no Grupo Espírita Beneficente "Maria Dolores", na Cidade de Jales, interior de SP.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue o cartaz do seu evento espírita.

Clique aqui