Página InicialTextos EspíritasO gigante despertando

38 visualizações

O gigante despertando

maio 19, 2024

Aqui no estado do Rio Grande do Sul, estamos passando por uma experiência de aprendizado bem profunda. Estamos enfrentando as consequências da maior enchente que assolou nosso estado, superando a que ocorreu no mesmo mês em 1941. Quem não está nas áreas de alagamento, como no nosso caso, enfrenta a falta de água, mas tenta acolher nos lares os familiares ou amigos em pior situação. A paisagem aqui é surreal, as ruas alagadas de um lado e as torneiras secas do outro.

Agora parece que os distraídos percebem que a água e o nosso planeta são os nossos bens materiais mais valiosos, e todo o cuidado é pouco.

Pessoas perderam a vida, outras, tudo que têm, mas a ajuda de voluntários e instituições do Brasil mostram que o Amor, o gigante, está despertando em muitos corações. Helicópteros de resgate dos flagelados passam pelo céu de Porto Alegre incessantemente, enquanto benfeitores espirituais nos sustentam pelos céus do além.

Heróis que estavam anônimos surgem de todos os cantos do Brasil, numa onda magnífica de solidariedade, fazendo ao outro o que queriam que fizessem com eles mesmos. Quem somos nós, afinal, que precisamos de tragédias para fazer revelar o herói que temos dentro de nós? O Espiritismo responde que somos seres reencarnados em um planeta umbralino de Provas e Expiações no meio de uma transição para a Regeneração e estamos aqui para progredir, para aprender a amar, submetidos a Leis que nos educam.

Sabemos que não é só aqui que tem acontecido desastres naturais, tivemos a epidemia de Covid no planeta todo, além das doenças causadas por mosquitos, terremotos, vulcões em atividade inundações, calorões acima do normal, deslizamentos de terra pelo Brasil e pelo mundo a fora, que são consequências das ações de uma humanidade imatura. E em cada um desses eventos, surgem os voluntários e as instituições a agirem para salvar o máximo de vidas possíveis. Surgem profissionais da saúde, da engenharia, da limpeza urbana, da tecnologia, da segurança pública, e tantos outros, anônimos fazendo seu trabalho por todos. A segurança de um virou a de todos, somos todos um.

Esta é a hora em que cada um, espontaneamente, revela o seu joio ou seu trigo! A verdade da alma vem à tona, na solidariedade, na caridade, na união ou no egoísmo, na maldade, na separação. É a dualidade estampada mostrando o que temos dentro de nós.

A vida egoísta foi abalada, pois na hora de crise, de falta de água e luz, somos forçados a viver com o mínimo necessário e aprender a dividir. A compaixão estendeu-se até os animais, nossos irmãos, que estão sendo resgatados e levados a abrigos. A mídia divulgou o bravo cavalo, símbolo do folclore gaúcho, parado sobre um telhado no meio de um verdadeiro rio, dando uma lição de Fé, perseverança e calma na hora da atribulação, que nos lembra a mensagem na parábola de Jesus, sobre a tempestade acalmada (Mateus, 8:23-27). É a mensagem do mundo espiritual para termos calma e coragem, pois tudo passa.

Então, tudo está certo como está, com a reviravolta necessária, fruto da inevitável lei da Destruição para o nosso Progresso. E não é novidade, lá no fundo, sabemos que precisamos passar por isso, que foi o nosso planejamento junto aos benfeitores espirituais, então, que tenhamos fé e coragem.

Bem-aventurados os  aflitos! Acordemos para o amor, o gigante!

Maria Lúcia Garbini Gonçalves

Maria Lúcia Garbini Gonçalves
Maria Lúcia Garbini Gonçalves

Tradutora, mora em Porto Alegre/RS, estudante da Doutrina Espírita, trabalha no Grupo Espírita Francisco Xavier como médium.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como