Página InicialTextos EspíritasPara sentir a paz em nosso mundo íntimo

213 visualizações

Para sentir a paz em nosso mundo íntimo

maio 17, 2017

“O perfeito amor lança fora o temor”. (I JOÃO, 4:18.)

Alguns instantes de meditação nos seriam suficientes para perceber que em muitas ocasiões nós mesmos sobrecarregamos a mente de inquietações sem fundamento. É comum estragarmos parte do nosso dia entregando-nos a aflições e ansiedades inúteis, que em nada nos ajudam a melhorar os problemas ou as condições daquilo ou daqueles que nos deram causa.

Muito pelo contrário, em lhes concedendo atenção e preocupação exageradas, ei-las que se fortalecem e ampliam transformando-se em instrumento de desarmonia, desequilíbrio, enfermidade, delinquência podendo até mesmo transformar-se em dolorosa obsessão. Muito importante que nos imunizemos contra a absorção desses venenos mentais, vigiando e orando para não nos infelicitarmos com seus efeitos devastadores.

Quando alguém nos imputar calúnias, insultos, difamação, veiculando boatos a nosso respeito, mantenhamo-nos, acima de tudo, calmos sem abrir brecha na fortaleza de nosso mundo interior, convictos de que não vale a pena conturbar o nosso coração, porque sabemos que o problema pertence ao caluniador que, responderá cedo ou tarde, pelos males que nos tenha causado perante a Soberana Sabedoria do Universo.

“Na atualidade do mundo é possível também exerças expressivo papel em algum drama familiar.
Observa, porém, que não te encontras a sós. Em torno de ti, outras provações se desenrolam, quase sempre, com características mais dolorosas do que as tuas.
As tribulações daqueles que carregam enfermidades irreversíveis; os grupos domésticos involuntariamente envolvidos em questões de delinquência; os pais que se responsabilizam por filhos doentes, cujo raciocínio se apaga, gradativamente, nos sanatórios; os filhos que perderam os pais nas cinzas da morte, e que, muitas vezes, passam do sofrimento ao clima do ódio por bagatelas de herança; as equipes familiares que se reconhecem desafiadas por violentos processos de obsessão; a tragédia de muitos amigos que abandonaram a fé e se despenham no suicídio; as mulheres desprotegidas com filhos pequeninos no colo e os grupos inumeráveis de crianças desorientadas, que se localizam na rebeldia e nos hábitos infelizes, preparando o amanhã de inquietação que as espera.
Se te encontras na condição de peça na engrenagem de hoje, a que se acolhem tantas criaturas aflitas, não te entregues ao luxo do desânimo, e sim, trabalha servindo sempre.
É preciso aprender a suportar os revezes do mundo, sem perder a própria segurança”. (1)

Sigamos realizando com esmero as nossas sagradas tarefas de aprimoramentos moral e espiritual, aproveitando as oportunidades de serviço no bem, que nos propiciarão alegrias na intimidade de nosso Ser, conquistando afeições verdadeiras e construindo um conceito mais elevado perante as inteligências superiores do Universo que, em nome de Deus, abençoar-nos-ão e valorizarão cada esforço despendido no trabalho com responsabilidade e lealdade aos próprios compromissos assumidos quando ainda no mundo espiritual encontrávamo-nos.

Sabemos que ainda estamos sujeitos a erros e enganos que, à medida de nossa compreensão, serão retificados e refeitos por nós mesmos com humildade e honestidade, sem a necessidade de que nos enquadremos nos preceitos Divinos de que “seja dado a cada um segundo as suas obras”, contidos na inexorável Lei de Causa e Efeito.

Precisamos entender o quanto antes a necessidade de nos adequar ao planejamento superior que o Supremo Pai traçou para cada um de nós, na edificação da felicidade e da paz em nossos caminhos, alicerçando as diretrizes de renovação que nos sejam indispensáveis para o êxito da empreitada presente, diante da Lei do Progresso evolutivo em que estamos inseridos.

Urge acreditarmos na força do bem e cooperar trabalhando, infatigavelmente, na sustentação da harmonia geral, na certeza de que o Amor é uma determinação de ordem Superior e que temos que contribuir com a parte que nos foi designada para que ele se estabeleça em definitivo no coração dos homens e de cuja execução não nos é lícito postergar.

Deus seja louvado!

Francisco Rebouças

Referências Bibliográficas:
(1) XAVIER, FRANCISCO CÂNDIDO, pelo Espírito Emmanuel. Livro Paz. Capítulo “Paz e Trabalho”.

Nota do Editor:
Imagem em destaque disponível em <https://pixabay.com/pt/relaxamento-ioga-a-concentra%C3%A7%C3%A3o-de-1967892/>. Acesso em 17MAI2017.

 

Francisco Rebouças
Francisco Rebouças

Pós-Graduado em Administração de Recursos Humanos, Professor, Escritor, Articulista de diversos veículos de divulgação espírita no Brasil, Expositor Espírita, criador do programa: "O Espiritismo Ensina".

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como