Página InicialMensagens Espíritas em TextoOs papéis que assumimos na vida

176 visualizações

Os papéis que assumimos na vida

julho 27, 2017

Como são perfeitamente inteligentes os programas em que o Pai do Céu mergulhou Seus filhos, destinados à vivência terrestre, com vistas ao seu progresso continuado para a vitoriosa imortalidade!

Todos, sem exceção, experimentam, ao longo dos séculos e dos milênios, as mais diversificadas posições no seio da família. Os membros que formam um grupo familiar no planeta, tendo ou não convivido juntos no passado, vivenciaram, com certeza, posições alternadas em suas idas e vindas, Além-Terra-Além.

São os mesmos os Espíritos que nascem homens e mulheres, no planeta terreno, conforme ensina o Espiritismo. Alternam-se em seu retorno do Além ao mundo, a fim de que possam fazer o aprendizado que coube ao outro, em outra ocasião.

Mulheres esposas de hoje podem ter sido os homens esposos do pretérito; quem foi pai ou mãe retorna como filho ou filha nos limites do lar.

Irmãos e primos, tios e avós costumam alternar essas posições em suas novas famílias, de modo a se enriquecerem com as vivências íntimas, marcadas pelos tempos, ansiedades, ternura, medos, amargura, preocupações e os investimentos do amor. Além do aprendizado íntimo, em nível sentimental e emocional, existem as atividades sociais e laborais que devem ser bem exercidas para o crescimento.

Independentemente dos papéis que são vividos e alternados na família, alternam-se também os quadros do trabalho com que se fundamentam as profissões; das buscas do entendimento religioso e outras incontáveis relações sociais.

Essas mudanças têm o poder de enriquecer de novas experiências cada Espírito que tenha que mergulhar no estuário das reencarnações. É por isso que todos vão conseguindo, pelos tempos afora, aprimorar-se, de modo a atender a parte que lhes cabe, com desenvoltura, na obra de Deus na Terra.

Embora haja muitos Espíritos que repetem tanto posições familiares quanto profissionais, tanto situações religiosas quanto sociais, o mais comum é que as suas posições em todos os contextos sejam modificadas para o engrandecimento geral.

Como um estupendo curso divino de aperfeiçoamento para o amor, ocupamos posições passageiras em cada existência, da qual deveremos retirar o melhor quinhão de aprendizagem e de aprimoramento que nos seja possível.

É para esse trabalho volumoso e belo que todos reencarnamos.

Psicografia de Raul Teixeira, pelo Espírito Benedita Maria.

Francisco Rebouças
Francisco Rebouças

Pós-Graduado em Administração de Recursos Humanos, Professor, Escritor, Articulista de diversos veículos de divulgação espírita no Brasil, Expositor Espírita, criador do programa: "O Espiritismo Ensina".

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como