190 visualizações

Mamon

julho 30, 2023

“Então ele lhes disse: Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus.”
Mateus 22:21

A passagem em que Jesus, sabiamente, responde aos hipócritas que lhe tentavam a pronunciar algo que ofendesse ou atacasse Roma, a fim de que indispusessem o poderoso império contra Ele, descerra profundas reflexões.

O Mestre não condena as coisas de Terra e as coloca menores que as questões do espírito, pelo menos é assim que eu vejo, o que Ele fez foi justamente separar.

Obviamente que vivendo uma vida terrena, em um corpo material, necessitaremos de matéria para viver até para nos provermos do necessário para que a tarefa aqui seja cumprida, do básico ao necessário, deveremos nos esforçar para conseguir, esforço esse também parte do nosso crescimento e evolução.

No entanto, não deixamos de ser espíritos durante a nossa experiência terrena e aí habita uma certa complexidade e até um certo paradoxo – como viver as coisas da Terra, ou seja da matéria, sem desconsiderar o nosso lado espiritual? Como me espiritualizar sem descumprir minhas questões materiais?

O equilíbrio destas duas questões é muito particular, como indivíduos somos nós também. A condição material de cada um, por certo, está diretamente relacionada com os desafios que a vida apresenta, seja na abundância ou na carência. Aspectos terrenos também vão além da moeda, existem os títulos, o poder, a exposição, a aparência, o status social, e o valor que cada um de nós dá a essas coisas tem muito a ver com o que somos e pensamos.

De outro lado, não dá para abrir mão dos desafios terrenos, abdicar da vida material e viver apenas para o espírito mesmo porque nos faria fechar os olhos às oportunidades de crescimento intelectual e moral que podem vir destas questões. A ascensão intelectual provocada pelo estudo e desenvolvimento profissional, a inteligência desenvolvida pelo convívio com todas as pessoas que nos cercam nas respectivas áreas, o aumento da nossa sensibilidade diante da necessidade do outro, as diversas oportunidades de auxílio também na questão material, o melhor ajudando aquele que ainda necessita do que este tem disponível.

Coisas da Terra e do espírito devem caminhar juntas, ambas fazem parte do nosso crescimento e evolução espiritual, encaremos a experiência terrena como um ano escolar que, para passar de ano, exigirá que nos dediquemos às coisas da escola, às matérias lá ensinadas para que, ao fim, laureados pelo sucesso, possamos ficar felizes conosco mesmo, pelo esforço empreendido e pela meta alcançada.

André Tarifa    

André Luis R. Tarifa
André Luis R. Tarifa

Trabalhador espírita desde os 12 anos de idade, eterno aprendiz, tenho um canal no Youtube onde compartilho meu aprendizado e as belezas da poesia. Atualmente desenvolvo os meus trabalhos no Centro Espírita Mansão da Esperança em São Paulo, SP.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como