Página InicialTextos EspíritasBuscar primeiramente as coisas de Deus…

125 visualizações

Buscar primeiramente as coisas de Deus…

setembro 12, 2018

Extraordinários e profundos ensinamentos estão contidos na carta do Apóstolo Paulo aos Efésios, onde podemos contemplar todo o esforço, dedicação, e convicção do conhecido seguidor de Jesus em ver espalhado entre seus irmãos as novidades contidas na “Boa Nova” trazida ao mundo por Jesus.

Claro que Paulo de Tarso também enfrentou muitas dificuldades antes e durante a sua sublime tarefa de divulgação do Evangelho que Ele mesmo anteriormente desmentia e perseguia. Certa vez quando estava preso a reminiscências do passado em que perseguiu sem piedade os cristãos que tiveram a infelicidade de cruzar seu caminho e se sentia profundamente infeliz, ajoelhou-se e começou a chorar.

Foi aí que mais uma vez pode constatar que não estava sozinho nessa nobre tarefa, pois sentiu a aproximação de abnegados servidores do mestre a encorajá-lo, era os irmãos Estevão que lhe disse com profunda bondade: “Levanta-te, Saulo”, e Abigail que em tom blandicioso lhe falou: “Que é isso? Choras? Estarias desalentado quando a tarefa apenas começa?”  

Mais afrente segue Estevão: “Saulo, não te detenhas no passado! Quem haverá, no mundo, isento de erros?! Só Jesus foi puro!...” (1)

Assim também acontece com muitos de nós, que em determinados momentos nos deixamos envolver por um enorme desânimo diante das várias tarefas que desempenhamos em nossa vida, em família, na sociedade, na casa espírita, e que nós julgamos equivocadamente incapazes de realizar, como se Deus nos impusessem tarefas acima de nossas possibilidades de realização.

Assim como Paulo de Tarso, dispomos de grande número abnegados servidores do cristo, sempre dispostos a nos ajudar nas inúmeras oportunidades que a Divindade nos propicia para a prática da caridade nas diversas atividades que participamos no dia a dia de nossas vidas.

Destacamos pequeno trecho dessa extraordinária carta para ilustrar o que dizemos: “Outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor. Por isso, comportai-vos como filhos da luz. O fruto da luz consiste em toda a bondade, justiça e verdade. Procurai discernir o que é agradável ao Senhor. Não participeis das obras infrutuosas das trevas; pelo contrário, denunciai tais obras.” (2)

Urge atender as recomendações constantes do Evangelho de Jesus que nos assegura que ninguém alcançará os elevados objetivos no mundo sem ceder alguma coisa de si mesmo em benefício do próximo e da vida.

“Não te esqueças de agir para a felicidade comum, na linha infinita dos teus dias e das tuas horas. Todavia, para que a ilusão te não imponha o fel do desencanto ou da soledade, ajuda a todos, indistintamente, conservando, acima de tudo, a glória de ser útil, “de modo que haja em nós o mesmo sentimento que vive em Jesus-Cristo.” (3)

Para tanto, precisamos entender que as Leis Divinas não podem ser alteradas em nosso benefício, e que podemos perfeitamente empregar nossa força de vontade na decisãode trabalhar com lealdade e alegria nos compromissos assumidos para a sustentação das boas obras, seja no plano externo ou no campo íntimo, buscando combater o bom combate edificando em nós as virtudes das quais somos portadores, aprendendo a servir pelo simples prazer de ser útil.

Francisco Rebouças

Referências:
(1) Paulo: Efésios 5 – 8: 11;
(2) Xavier, Francisco Cândido, pelo Espírito Emmanuel – Livro Paulo e Estevão – FEB.,  20ª edição, cap. III, pag.305; e
(3) Xavier, Francisco Cândido, pelo Espírito Emmanuel – Livro Fonte Viva, cap. 2.

Nota do editor:
Imagem ilustrativa e em destaque disponível em <https://www.godisreal.today/god-images/>. Acesso em: 12SET2018.

Francisco Rebouças
Francisco Rebouças

Pós-Graduado em Administração de Recursos Humanos, Professor, Escritor, Articulista de diversos veículos de divulgação espírita no Brasil, Expositor Espírita, criador do programa: "O Espiritismo Ensina".

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como