Página InicialO sofrimento interminável, inescapável e intolerável

164 visualizações

O sofrimento interminável, inescapável e intolerável

julho 13, 2020

“Agora, pois, permanecem a fé, a esperança
e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor”.
Paulo de Tarso

Todos os anos, no dia 10 de setembro celebra-se o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. A data, estipulada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), tem o objetivo de trazer maior discussão sobre o assunto e sua conscientização, para que, principalmente, mais pessoas esclareçam-se sobre esse mal que tem ceifado muitas vidas, de forma prematura e inadvertidamente.

Algumas considerações são importantes:

1- Falar sobre suicídio é fundamental para esclarecimento
Segundo a Organização Mundial de Saúde, de a cada 10 pessoas, 9 cometem suicídio porque transportam alguma desordem psiquiátrica. Suicídio tem prevenção porque está associado a psicopatologias tratáveis.

2- Falar sobre o suicídio não reforça a ideia de pôr fim à vida
A prevenção é o instrumento mais seguro que temos ao nosso alcance, pois, às vezes, nos períodos de crise, o doente não consegue notar a saída para a situação tormentosa; ele sente como se aquela dor fosse “interminável”.

3- A ideação suicida transforma-se numa monoideia
Na fase de sofrimento contumaz a mente fica atordoada e o doente não tem a percepção real da sua condição. Vagam em torno do seu campo mental as mesmas ideias e o mesmo desespero. O suicida não quer morrer, ele quer acabar com seu sofrimento.

4- Doenças mentais são fatores de risco
Ansiedade, depressão, alcoolismo, toxicodependência e esquizofrenia são doenças que merecem maiores pesquisas e atenção por parte de todos. O deprimido considera viver um sofrimento “inescapável”.

5- Investimentos afetivos são capazes de imunizar
O suicídio ocorre a todos os tipos de pessoas e encontra-se em todos as categorias de sistemas sociais e familiares; as redes de proteção mais seguras ainda são o afeto e o vínculo amoroso. A dor, vista como “intolerável”, pode e deve ser acolhida por pessoas habilitadas a auxiliar na travessia do período da noite escura na alma.

6- A terapêutica espírita oferece novas perspectivas
Considerando a realidade imortal do espírito, a terapêutica ofertada pela Doutrina Espírita pode transformar a vida àqueloutros que perderam o encantamento pela experiência terrena. Saber-se imortal e com o compromisso de evoluir é uma tarefa que requer sacrifícios, renúncia e disciplina.

7- Decida-se por viver!
Agora, mais que nunca, é o momento de buscar forças e orientações para que o fortalecimento espiritual e emocional se fixe em nossos campos mentais, modificando as estruturas da mente, vertendo saúde para o corpo astral e físico. O SER descobrirá que é herdeiro de si mesmo. Atendendo a advertência paulina: Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém, o maior destes é o amor. Decida-se por viver!

Jane Maiolo

Nota do editor: 

Imagem ilustrativa e em destaque disponível em <https://exame.com/tecnologia/cvv-se-une-ao-facebook-para-criar-robo-de-prevencao-ao-suicidio/>. Acesso em:12JUL2020.

Jane Maiolo
Jane Maiolo

Professora de Ensino Fundamental, formada em Letras e pós-graduada em Psicopedagogia. Dirigente da USE Intermunicipal de Jales. Colaboradora da Sociedade Espírita Allan Kardec de Jales. Pesquisadora do Evangelho de Jesus. Colaboradora da Agenda Espírita Brasil. Apresentadora do Programa Sementes do Evangelho da Rede Amigo Espírita.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como