229 visualizações

Não precisamos de nada

outubro 18, 2022

É fato que vivemos em uma era onde há a supervalorização dos bens materiais e também é inegável que poucos, para não dizer ninguém, consegue se afastar desse defeito da alma, mas também o ponto central reside em saber até que ponto cada um de nós está efetivamente tentando se afastar da matéria e conectar com o Deus.

Jesus nos ensinou que ninguém poderá servir a Deus e Mamon ao mesmo tempo, e temos, invariavelmente, optado por esse em detrimento daquele. Nunca temos tempos para nossas orações, nossos estudos são colocados em segundo plano, não pensamos em repartir o pão, mas sempre queremos acumulá-lo e muito menos estamos aptos a amar o próximo, como Ele nos amou, nem mesmo entendemos a profundidade disso.

Necessário uma reflexão profunda sobre o tema, fazendo uma análise finalista precisamos ter em mente que no momento de nossa passagem desse planeta físico para o espiritual, toda a matéria acumulada aqui será deixada, seja para nossos filhos ou outros que se aproveitarão de nosso suor e apenas gozarão dos prazeres da carne.

O que levaremos conosco será apenas a moral desenvolvida e o conhecimento adquirido, conhecimento esse que deveria ter sido repartido aqui ainda em vida com nossos amigos, familiares e outras pessoas que nos rodeiam, encarnados ou não, mas nem mesmo nós tivemos tempo de adquirir, então como repartir? Como ser caridosos?

Graças a Bondade e a Justiça Divina, Deus nos concede, voluntariamente, o que realmente necessitamos para desenvolver todas as nossas atividades terrestres. Estamos sempre prontos a nos entregar aos trabalhos Divinos, partindo sempre de nosso próprio melhoramento, pois apenas com a nossa evolução é que poderemos melhorar o nosso entorno.

Nada nos faltará, acreditemos na Divina Providência. Não é um convite ao ócio, muito pelo contrário, é um convite ao trabalho sério e engrandecedor, ao estudo edificante, a prática diária da caridade e do Amor. Se trabalharmos, incansavelmente, de acordo com nossas aptidões e obedecendo às ordens Divinas, iremos evoluir e essa evolução nos manterá no caminho feliz. E Deus com sua Divina Justiça nos retribuirá, sem que precisemos esperar por tal prêmio.

A paga material não importa, o que importa é o nível de conhecimento que adquirimos nesse momento e, principalmente, o que fazemos com esse conhecimento. Usá-lo para o bem, para ajudar aquele irmão necessitado, aquele amigo que precisa de um abraço, aquele inimigo que precisa de um perdão, essa é nossa retribuição.

Os bens que necessitamos estão em nós mesmos, compete-nos encontrá-los. Precisamos de tesouros nos Céus e não de bens acumulados na Terra. Iremos deixá-los, mas que possamos carregar uma moral ilibada e um conhecimento irretocável, e, no fim, que aqui quem ficar com nossos bens terrenos que possam ter adquirido o conhecimento suficiente para viver pelo Céu e não pela Terra.

Daniel Baeninger

Daniel Baeninger
Daniel Baeninger

Trabalhador do Centro Espírita Luz e Caridade de Limeira/SP.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue o cartaz do seu evento espírita.

Clique aqui