Página InicialTextos EspíritasA autoestima

221 visualizações

A autoestima

fevereiro 20, 2021

Ensinou o Mestre Jesus: Sede Perfeitos!

O caminho para essa realização é o do auto aprimoramento, pelo qual deveremos desenvolver as nossas potencialidades nas áreas: do sentimento, da emoção, a intelectual e a espiritual.

Deveremos trabalhar da melhor maneira possível o desenvolvimento da autoestima.

Consideremos o que seja a autoestima, ainda que de forma sintética.

A autoestima é como sentimos a nós mesmos, de maneira equilibrada, saudável e produtiva.

Esta forma de pensar e agir deverá se expressar em nossa vida, em nossos atos.

A ausência da autoestima pode se refletir criando problemas físicos, orgânicos, perturbações espirituais, distúrbios psicológicos como: ansiedade, depressão, medo, temor do insucesso, envolvimento com o álcool, com a droga, dificuldades nos estudos, no ambiente de trabalho, na convivência com o próximo, disfunções sexuais, imaturidade emocional e até mesmo o suicídio e prática de ações violentas.

A autoestima será alicerce muito forte se nos sentirmos como filhos de Deus e seres imortais a caminho da Plena Felicidade.

Portanto, a autoestima tem dois componentes importantes: a consciência da competência e do valor pessoal. Ela implica, pois, em autorespeito e autoconfiança e manifestações do amor a si mesmo.

Ela amplia a nossa capacidade de lidarmos com os naturais desafios da vida, ou seja, entender e resolver os problemas que nos desafiam. Também embasa o direito de sermos felizes, de respeitar e defender os próprios direitos.

Ter autoestima é estarmos confiantes e ajustados à vida.

Sentir baixa autoestima é sentirmo-nos inadaptados à vida. É achar que, sempre estamos errados, gerando, com isso, fragilidade muito grande.

A visão espiritual da vida não nos deve levar a um sentimento de fraqueza e miserabilidade, que nos lembra do irremediável pecador condenado ao fogo eterno; pelo contrário, a visão espiritual da vida deve nos conscientizar que estamos preparados para lidar com as adversidades da vida. Deve tornar-nos mais resistentes às pressões da convivência social e imposições psicológicas, e a não sucumbirmos ao desespero que fatalmente leva à derrota.

Cultivando a autoestima seremos mais alegres, confiantes e criativos em nossas atividades, fundamentando os sucessos de nossos empreendimentos.

Com a autoestima ampliaremos as possibilidades de ter relações saudáveis, pois é a lei da sintonia: o amor atrai amor, a saúde atrai a saúde, a euforia atrai a euforia.

Quando temos autoestima convivemos com as pessoas com mais respeito, benevolência, compaixão e senso de justiça, pois não tememos o outro.

A autoestima proporciona-nos a alegria de viver e sentir, desde o despertar, pela manhã, até o merecido repouso, ao anoitecer, porque não estaremos fugindo da vida, porém vivendo-a conscientes de nossas possibilidades e limitações.

Teremos autoestima quando não entrarmos em guerra conosco, nem lutarmos desesperadamente contra os outros, com medo do que eles representam.

Agiremos ou reagiremos de maneira positiva e produtiva.

Autoestima é o amor a nós mesmos a se refletir na Vida.

Aylton Paiva

Nota do editor:

Imagem ilustrativa e em destaque disponível em <https://radioboanova.com.br/diferencas-entre-autoestima-e-autocuidado/>. Acesso em: 20FEV2021.

Aylton Paiva
Aylton Paiva

Cooperador na Casa dos Espíritas, em Lins, interior de SP, estudioso do Espiritismo e desejoso de aplicar sua Filosofia na própria vida, além de Esperantista.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como